O Brasil é considerado o país do futebol, no lugar da Inglaterra onde o esporte foi criado. A explicação para esse amor pode ser explicada pela conquista de cinco Copas do Mundo. Em tese, o sucesso desse esporte não refere-se somente a isso: Gilberto Freyre defendia que o talento do brasileiro para o futebol era graças à grande miscigenação dos povos e suas raças. Entretanto existem outras explicações.

Para alguns estudiosos, o futebol é considerado uma manifestação cultural, que no Brasil se deu de uma forma mais abrangente e que conseguiu transformar esse esporte em uma característica do povo brasileiro. O intenso fanatismo desse esporte e a sua capacidade de atrair multidões fizeram com que ele fosse perdendo o prestígio entre os intelectuais e ganhando força nas classes abastadas da população. Os políticos usavam esse fanatismo em seu benefício e apoiavam o futebol, para conquistar aquele grande número de torcedores.

Após a Copa de 50, os meios de comunicação passaram a acompanhar mais esse esporte, de uma forma que enaltecia os ídolos de cada time e divulgava as partidas e os campeonatos. O crescimento econômico, ocorrido na década de 50, é visto como um dos motivos para o crescimento do futebol. Nessa época, surgiram vários campos nas cidades e as pessoas puderam praticar o esporte em qualquer lugar.  

Urso de Pelúcia da Seleção BrasileiraNos anos 90, o Brasil começou a sofrer com o êxodo de jogadores para o exterior, sendo considerado um exportador de atletas em potencial. O sucesso dos jogadores brasileiros no exterior é considerado excepcional e eles saem do país cada vez mais cedo para jogar nos times estrangeiros em busca de reconhecimento.

Eles fazem sucesso no time principal e, em pouco tempo, assinam um contrato com um time de outro país. A saída de jogadores é o retrato da crise dos times nacionais, que não conseguem manter seus jogadores. Os atletas saem do país de maneira precoce e a FIFA já demonstrou preocupação com a saída repentina desses pequenos craques.

A lei Pelé, que estabelece o fim da Lei do Passe, e nela é estabelecido que o atleta não é mais considerado uma propriedade do clube. Foi criada em 1998, sendo considerada pelos times de futebol como principal culpada pela saída em massa de tantos jogadores. Para muitos o grande prejuízo da lei é o menor investimento nas categorias de base, pois se o jogador não tiver um vínculo com aquele time, ele acaba sendo comprado por outros mais poderosos e com maior poder de investimento.

Grande parte das contratações dos jogadores são para países como a Turquia, Itália, Espanha, Inglaterra, Portugal, dentre outros. Os principais motivos para a saída tão precoce dos jogadores brasileiros é o alto salário pago pelos clubes estrangeiros, a busca pela independência financeira ou um contrato tentador.

A falta de organização do futebol também é considerado como aspecto crucial para que tantos jogadores busquem o sucesso em outro país. Apesar de toda a expectativa, muitos atletas, ao chegar nesses países, sofrem com a falta de adaptação ao local, principalmente em regiões frias, e isso reflete diretamente em seu desempenho em campo e influencia no aspecto psicológico.